Processando...

ROMEU ZEMA PRESTIGIA ARTESÃOS EM MAIOR EVENTO DO SETOR NA AMÉRICA LATINA

<p>O governador Romeu Zema visitou, na &uacute;ltima ter&ccedil;a-feira, dia 3, no Expominas, a Feira Nacional de Artesanato. Neste ano, a expectativa &eacute; que o evento movimente, at&eacute; dia 8, cerca de R$ 65 milh&otilde;es. A feira, que em 2019 completa 30 anos, &eacute; considerada a maior do setor na Am&eacute;rica Latina, com 5 mil expositores e 1.100 estandes. Ao longo da programa&ccedil;&atilde;o, &eacute; aguardado um p&uacute;blico de 170 mil pessoas.</p> <p>Durante uma hora, Romeu Zema percorreu espa&ccedil;os da feira, conheceu o artesanato de diversas regi&otilde;es do estado e conversou com os expositores. De acordo com o governador, o setor tem import&acirc;ncia gigantesca no desenvolvimento econ&ocirc;mico por ser um grande gerador de empregos. &ldquo;Eu fiquei impressionado com o tamanho da feira. N&atilde;o imaginava encontrar tantos estandes e expositores. Para as pr&oacute;ximas edi&ccedil;&otilde;es, queremos torn&aacute;-la ainda maior. Ela tem um grande potencial. No que depender do governo, daremos total apoio&rdquo;, enfatizou.</p> <p>O Governo de Minas participa da feira com um estande de 1.000 m&sup2; cedido pelo Programa do Artesanato Brasileiro (PAB), do Minist&eacute;rio da Economia, adquirido com recursos da Diretoria de Artesanato (Dart) da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econ&ocirc;mico (Sede), por meio do Instituto de Desenvolvimento do Norte e Nordeste de Minas Gerais (Idene) e do Servi&ccedil;o Brasileiro de Apoio &agrave;s Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).</p> <p>No espa&ccedil;o, s&atilde;o comercializados produtos feitos por artes&atilde;os das regi&otilde;es Norte e Nordeste de Minas. A expectativa deste ano, segundo a Dart, &eacute; movimentar cerca de R$ 1,5 milh&atilde;o com as vendas.</p> <p>Em fun&ccedil;&atilde;o da comemora&ccedil;&atilde;o dos 30 anos de feira, est&atilde;o sendo homenageados 30 munic&iacute;pios escolhidos pela Sede, em parceria com o Instituto Centro de Capacita&ccedil;&atilde;o e Apoio Ao Empreendedor (Instituto Centro Cape). S&atilde;o eles: Andradas, Arinos, Barra Longa, Capit&atilde;o En&eacute;as, Carmo do Rio Claro, Chapada do Norte, C&ocirc;nego Marinho, Coronel Xavier Chaves, Curvelo, Diamantina,</p> <p>Esmeraldas, Extrema, Fronteira, Gon&ccedil;alves, Ipatinga, Itaobim, Ja&iacute;ba, Jana&uacute;ba, Lagoa Santa, Maria da F&eacute;, Mariana, Muzambinho, Pirapora, Prados, Presidente Kubitscheck, Sabar&aacute;, Salinas, Santa Cruz de Minas, Te&oacute;filo Otoni e Veredinha.</p> <p>O evento conta, ainda, com workshops, cursos e oficinas gratuitas, al&eacute;m da exposi&ccedil;&atilde;o do artesanato ind&iacute;gena, representado por nove etnias brasileiras. Os visitantes podem assistir aos shows e apresenta&ccedil;&otilde;es culturais gratuitamente. A 30&ordf; edi&ccedil;&atilde;o da Feira Nacional de Artesanato &eacute; promovida pelo Centro Cape, com patrocino da Uni&atilde;o e do Governo de Minas.</p> <p>Tamb&eacute;m participaram da visita as secret&aacute;rias de Agricultura, Pecu&aacute;ria e Abastecimento, Ana Valentini; de Desenvolvimento Social, Elizabeth Juc&aacute;; o secret&aacute;rio-adjunto de Desenvolvimento Econ&ocirc;mico, Adriano Magalh&atilde;es; o subsecret&aacute;rio de Desenvolvimento Regional da Sede, Fernando Passalio, e o diretor-geral do Idene, Nilson Borges.</p> <p>A Feira Nacional de Artesanato, maior evento do g&ecirc;nero em toda a Am&eacute;rica Latina, comemora, em 2019, 30 anos de realiza&ccedil;&atilde;o em Belo Horizonte. Al&eacute;m de beneficiar diretamente milhares de pessoas, a feira leva, aos 170 mil visitantes, as nuances e tra&ccedil;os do trabalho feito &agrave; m&atilde;o. Em um s&oacute; local, &eacute; poss&iacute;vel conhecer a diversidade que permeia o artesanato brasileiro. Neste ano, a comunidade artes&atilde; promete movimentar o Expominas entre 3 e 8 de dezembro.</p> <p>Workshops, cursos e oficinas demonstrativas, incluindo as que utilizam materiais descartados na Feira Nacional de 2018 tamb&eacute;m prometem movimentar o Expominas ao longo dos dias de evento.</p> <p>A Feira Nacional tamb&eacute;m disponibiliza cadeiras de rodas para os visitantes com dificuldades de locomo&ccedil;&atilde;o. Carregadores, guarda volumes e frald&aacute;rios estar&atilde;o dispon&iacute;veis para que os visitantes tenham toda a estrutura necess&aacute;ria para realizar suas compras durante os seis dias da FNA.</p> <p>Al&eacute;m disso, os visitantes podem aproveitar, gratuitamente, shows e apresenta&ccedil;&otilde;es culturais. Justamente por isso, uma das premissas da Feira Nacional de Artesanato &eacute; a valoriza&ccedil;&atilde;o do cen&aacute;rio art&iacute;stico local. Foi sob o palco do evento que grupos como o Galp&atilde;o e o Tambolel&ecirc;, al&eacute;m de figuras como o multiartista Marku Ribas, puderam mostrar seus trabalhos ao grande p&uacute;blico.</p> <h2>Social</h2> <p>A Feira oferece, tamb&eacute;m, espa&ccedil;os para a divulga&ccedil;&atilde;o gratuita de projetos sociais. A Associa&ccedil;&atilde;o de Pais e Amigos de Excepcionais (Apae) &eacute; uma das entidades que faz uso do evento como meio de difundir o trabalho feito por seus colaboradores.</p> <p>Cinquenta stands s&atilde;o cedidos a artes&atilde;os brasileiros que nunca tiveram a oportunidade de expor seus trabalhos na Feira. A lista de profissionais selecionados para participar da iniciativa, denominada Meu Primeiro Evento, foi divulgada em junho. Os candidatos se inscreveram, entre janeiro e maio, pelo&nbsp;<a href="http://www.feiranacionaldeartesanato.com.br/">site</a>.</p>