Carregando...
Enviando...
INSTITUTO CENTRO DE CAPACITAÇÃO E APOIO AO EMPREENDEDOR
Data: 17 de Março de 2017

Voltar

Artesanato mineiro movimenta cerca de R$ 2 bilhões por ano

Cadeia produtiva do artesanato movimenta cerca de R$ 2,2 bilhões por ano em Minas Gerais

Em casa, Euziléia Oliveira, de 48 anos, dedica os dias ao ofício aprendido com as tias ainda na infância: o artesanato. “Descobri uma paixão, principalmente pelas tintas e pincéis. Tenho uma enorme satisfação em transformar materiais simples em arte, em algo funcional e belo”, relata.

A artesã de BH é uma entre milhares de pessoas em Minas que vivem da renda obtida com os trabalhos manuais. Estima-se que existam cerca de 300 mil artesãos no estado, onde a produção movimenta, em média, R$ 2,2 bilhões por ano.

Porém, destes, apenas 2.900 estão cadastrados no Sistema de Informações Cadastrais do Artesanato Brasileiro (SICAB) e possuem a Carteira Nacional do Artesão e do Trabalhador Manual, documento que identifica os profissionais.

 

Facilidades

Um importante benefício da carteira é que ela facilita a participação dos artesãos em eventos especializados, como feiras, exposições e treinamentos. “Alguns destes eventos já exigem o documento”, informa Thiago Tomaz Chaveiro, coordenador de Artesanato do Núcleo de Artesanato da Secretaria de Estado Extraordinária de Desenvolvimento Integrado e Fóruns Regionais (Seedif). Segundo ele, algumas operadoras de cartão de crédito oferecem taxas diferenciadas para os artesãos identificados.

“Além de conseguir participar de mais eventos de grande porte, tenho interesse em oferecer oficinas e workshops, então acredito que ela dará mais credibilidade ao meu trabalho”, destaca Euziléia, que fez o cadastro no mês passado. 

Artesã há dez anos, o carro-chefe dela é a pintura em cabaça e gesso. “Transformo os materiais em bonecas, animais, fruteiras, luminárias e o que mais a minha criatividade permitir”, conta ela, que já tem cartela de clientes formada e vende para todo o país.

 

Top 100

Prova da força do artesanato mineiro é que Minas dominou o “Oscar brasileiro do artesanato”. Dos cem melhores empreendimentos premiados na 4ª edição do Prêmio Sebrae Top 100 de Artesanato nos 27 Estados, 13 são mineiros. Ademais, Minas teve o maior número de representantes na premiação. Dos 2.145 artesãos inscritos, 309 foram do estado. 

Além do reconhecimento nacional, os vencedores irão expor os produtos em quatro eventos comerciais de expressão nacional. Eles poderão, ainda, usar o selo “Prêmio Sebrae TOP 100 de Artesanato – 4ª Edição” até o fim de 2019 e divulgar os trabalhos no catálogo da premiação.

 

Governo busca novos canais para escoar trabalho dos artesãos

Rica culturalmente, conhecida mundialmente e importante economicamente, a atividade conta com apoio do Governo de Minas Gerais, por meio da Seedif, que monitora, incentiva, cadastra artesãos e realiza feiras nacionais e internacionais para promover o artesanato mineiro.

De acordo com Thiago Tomaz Chaveiro, o Núcleo de Artesanato trabalha para inserir os trabalhadores em eventos do setor e em iniciativas de desenvolvimento do artesanato. 

“Fazemos levantamento de canais de comercialização, oferecemos ajuda para possibilitar a participação dos artesãos em feiras e também trabalhamos na capacitação e qualificação destes profissionais, com a ajuda de entidades parceiras, como o Sebrae”, explica. “A maior dificuldade hoje é o escoamento da produção e, por isso, a demanda é pela abertura desses canais”, completa.

Exemplo

Natural de Cipotânea, na Zona da Mata, Cecília Miranda, de 50 anos, faz parte da Associação das Artesãs da cidade e marca presença em eventos em todo o país. “Nossa matéria-prima é a palha de milho, e fazemos cestaria em geral, como baús, fruteiras e bolsas”, conta.

Registrada há quinze anos, a associação, composta por cerca de 40 famílias, tem uma loja no centro da cidade e também trabalha sob encomenda. “Nós devemos muito ao Governo e ao Sebrae-MG, que nos leva para todas essas feiras importantes”, diz a artesã. 

 

Além Disso

Para ter a Carteira Nacional do Artesão, o profissional deve fazer um pré-agendamento na Seedif, no Núcleo de Artesanato, pelo (31) 3915-2938. O cadastro é feito às terças e quintas-feiras, mas, em caso de necessidade, a secretaria pode realizar o atendimento em outros dias da semana.

O artesão precisa levar RG, CPF, um comprovante de residência, uma foto 3x4 colorida e, mediante o cadastramento, é necessário fazer uma prova de habilidade manual. “Este procedimento é realizado exatamente para proteger a categoria, barrando pessoas que querem se passar por artesãos”, explica Thiago Tomaz Chaveiro.

Em virtude do Dia Nacional do Artesão, celebrado no domingo, a Seedif vai promover, no Museu Abílio Barreto, um mutirão de cadastramento para obtenção do documento. Para participar, o artesão precisa preencher o pré-cadastro no bit.ly/2mz1zFq. As vagas são limitadas.

 

 

Fonte: Agência Minas Gerais