Carregando...
Enviando...
INSTITUTO CENTRO DE CAPACITAÇÃO E APOIO AO EMPREENDEDOR
Data: 25 de Janeiro de 2017

Voltar

ABCOMM registra empreendedorismo virtual com crescimento de 18% em 2016

*Divulgação

Mais do que bons salários, os profissionais no mercado estão à procura de boas condições de trabalho, comodidade, flexibilidade, e, acima de tudo, de uma atividade que lhes permita se sentir recompensados pelo investimento de tempo e esforço. Em função disso, o empreendedorismo no Brasil tem se fortalecido cada vez mais e as pessoas vêm encontrando novas formas de guiar o próprio negócio com baixo investimento inicial e retornos rápidos.

Com o acesso à internet cada vez mais facilitado e a ampliação das possibilidades de atuação nesse ambiente, o empreendedorismo virtual surge como nova e forte tendência.

Mesmo com a retração econômica atual no Brasil, o e-commerce nacional terminou o ano de 2016 com um crescimento de 18% em relação a 2015 e faturou R$ 56,8 bilhões, de acordo com a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABCOMM). O ano registrou 190,9 milhões de pedidos nas lojas virtuais, com um ticket médio de R$ 298.

Os números mostram que não é mais possível pensar o empreendedorismo sem levar em conta os canais digitais. E compreender os desafios e as perspectivas do e-commerce e dos meios tecnológicos para propagar negócios é tarefa difícil em um mercado competitivo em constante transformação e expansão. O espaço virtual oferece cada vez mais recursos para que qualquer negócio possa ser executado e, a exemplo de grandes sucessos, como da gigante de moda Dafiti, com todos os seus conteúdos educacionais, é possível ser reconhecido com uma marca e um trabalho sem sair muito da realidade online.

O empreendedorismo virtual permite que profissionais em geral possam começar um negócio investindo muito pouco financeiramente e que tenham um rápido retorno a partir dos esforços corretos. Portanto, essa é uma atividade que deve ser iniciada com um bom planejamento para que não gere mais frustrações do que lucros. Ter uma boa noção do mercado em que se pretende atuar, além de referências de outros negócios na internet é um bom começo. Entender também que a realidade virtual funciona de forma diferente da física e que isso interfere no modo como as pessoas empreendem, pode ajudar.

Em 2017, o e-commerce nacional deve crescer 12% em relação a 2016 e faturar R$ 59,9 bilhões, de acordo com previsão da ABCOMM. O ano deve registrar mais de 200 milhões de pedidos nas lojas virtuais e a expectativa é que atinja a marca de 38,5 milhões de compradores únicos nas 71 mil lojas virtuais existentes, consolidando a tecnologia no cotidiano dos brasileiros. Além disso, a participação das PMEs no faturamento do comércio eletrônico deve aumentar para 25%.

 

E se você quer ter seu próprio negócio, vê o digital como uma boa oportunidade, mas ainda não sabe por onde começar, o Centro CAPE te ajuda! Aqui você vai conferir as novidades do empreendedorismo, as vantagens de se aventurar nesse modelo, ver dicas para começar, entender conceitos fundamentais e muito mais. 

 

Conheça mais sobre os nossos cursos: Empreendedorismo Centro CAPE